Medicina Natural

Resveratrol

Por Dr. António Marcos

O QUE É O RESVERATROL?

O resveratrol é uma substância (polifenol) que pode ser encontrada nas sementes e na pele da uva tinta (e outras plantas), bem como no vinho tinto, produzido pela planta para se defender de bactérias, fungos e parasitas e que, além da sua acção anti-fúngica e anti-bacteriana, é um potente antioxidante que pode proteger a saúde e a longevidade humanas de diversas maneiras(2).

Ele é a grande revelação dos estudos sob a denominação comum de “french paradox” ou “paradoxo francês” que levou os investigadores durante décadas a cuidar de saber o porquê de, apesar de levarem um modo de vida com muitas gorduras saturadas alimentares, tabaco e alcool, os franceses apresentarem uma rídicula incidência de patologias cardiovasculares. O segredo, afinal, estava no vinho tinto com que os franceses gostam tanto de acompanhar as suas refeições ou uma simples conversa.

Infelizmente a quantidade de resveratrol habitualmente presente nas uvas tintas tem vindo a diminuir drasticamente em virtude da utilização mais ou menos indiscriminada de pesticidas e anti-fúngicos nas vinhas e outras culturas.

PORQUÊ TANTO “ALARIDO” SOBRE O RESVERATROL NOS MEIOS DE SAÚDE?

A realidade é que, embora a comunicação social esteja apenas agora a “apanhar” esta onda, esta substância merece um claro destaque: ela é verdadeiramente incrível do ponto de vista da saúde e da longevidade, sendo que, até agora, tem sido usada apenas como uma solução “secreta” e “quase milagrosa” por médicos e terapeutas bem preparados e actualizados. Em virtude do seu vasto leque de benefícios, o resveratrol tem sido prescrito para um conjunto alargado de problemas de saúde, com tal sucesso que não pára de chamar a atenção dos investigadores.

Os seus 10 mais conhecidos benefícios são:

1 – Acção anti-inflamatória, anti-álgica e anti-cancerígena;

2 – Acção de regulação do açúcar no sangue;

3 – Acção preventiva e tratamento de problemas cardiovasculares e de AVCs;

4 – Acção preventiva e tratamento de Doença de Alzheimer;

5 – Acção preventiva e de tratamento contra rugas e marcas da idade;

6 – Acção de prevenção e tratamento de cancro da pele;

7 – Acção de protecção do ADN celular;

8 – Acção activadora do gene da longevidade (terapia anti-aging);

9 – Acção de protecção contra radiações e contra os efeitos secundários da quimioterapia;

10 – Acção promotora de energia e do aumento da endurance em atletas.

COMO FUNCIONA?

Pensa-se que o resveratrol se liga às estruturas celulares danificadas do nosso organismo, protegendo-as e recuperando-as dos danos provocados pelos radicais livres, desta forma prevenindo, mal surjam, quaisquer danos celulares, restabelecendo o equilíbrio e a saúde e adicionando anos à sua vida. Basta pensar que ao ter um eficácia protectora no que respeita à incidência de cancro, de doenças do coração(3) e AVCs, ele é um efectivo meio de não ver a sua vida súbita e grandemente reduzida.

Sabemos, pelas investigações realizadas, que a toma de resveratrol tem o mesmo efeito, do ponto de vista da nossa genética, que as dietas baixas em calorias (sem os efeitos nefastos destas) que sabemos terem demonstrado adiar o processo de envelhecimento(4).

PODE O RESVERATROL AJUDAR-NOS A VIVER MAIS ANOS E COM MAIS SAÚDE?

Nos testes laboratoriais de Harvard sobre ratos com problemas de saúde ligados à obesidade, a expectativa de vida no grupo ao qual foi administrado o resveratrol aumentou em 31%, o que é verdadeiramente extraordinário(5), (6).

Alguns estudos levados a cabo posterior e mais recentemente em humanos, através da administração a estes de resveratrol puro, demonstraram a sua eficácia na prevenção e combate não só às patologias cardiovasculares, mas às patologias degenerativas em geral, com especial destaque para as severas Parkinson e Alzheimer que, não só podem ser travadas, como revertidas pela constante administração desta substância fantástica que trabalha, constantemente, na protecção do nosso cérebro (7) (e isto sem os efeitos adversos da toma excessiva de álcool que seria necessária para atingirmos níveis de resveratrol, p.ex. através do consumo de vinho).

O simples facto de estarmos vivos gera radicais livres no nosso organismo decorrentes do desempenho das funções orgânicas (respirar, metabolismo, exercício físico, combate de vírus e bactérias pelo sistema imunitário). Alguns radicais livres devem-se a vícios como o tabaco, ou factores ambientais como a poluição, herbicidas, pesticidas ou mesmo a radiação. Os problemas surgem quando estes radicais livres atacam as nossas células, enfraquecendo-as e tornando-as mais susceptíveis a alterações. Ora isto pode ter consequências profundamente nefastas na nossa longevidade.

Uma das principais causas de envelhecimento e morte é o facto das células velhas perderem a sua capacidade de replicarem na perfeição o ADN em cada nova célula. Isso leva a que surjam erros de ADN nas células, bem como detritos de ADN que levam ao mau funcionamento e reprodução celular. Ora os recentes estudos apontam para que o resveratrol reduza a frequência de detritos de ADN em 60%, através da activação do gene da longevidade(8).

Com efeito, o resveratrol ajuda-nos a permanecer jovens e viver mais anos pela activação que produz nos genes SIR que os humanos possuem e que são responsáveis pela nossa longevidade.

PODE O RESVERATROL AJUDAR NA PERDA DE PESO?

Há que salientar que os testes sobre o efeito do resveratrol na regulação do metabolismo e na perda de peso foram levados a cabo, até ao momento, apenas em ratos obesos que efectivamente demonstraram grandes benefícios da suplementação com resveratrol. Se pensarmos que, como refere o estudo dos investigadores de Harvard, “os ratos são muito mais próximos, do ponto de vista da evolução, com os humanos do que quaisquer outras cobaias que tenham sido anteriormente utilizadas, então teremos aqui resultados promissores à vista. Mas os benefícios do resveratrol vão muito além dos problemas de obesidade.

PROMOVE A ENDURANCE EM ATLETAS

Sim, o resveratrol produz um aumento no nível de testosterona livre, que vai ter elevado impacto na performance física, na produção espermática e nos níveis de energia, quer em homens quer em mulheres, estas últimas beneficiando ainda da regulação hormonal estrogénica que o resveratrol induz.

Os atletas em que foi testada a suplementação com resveratrol apresentaram uma maior resistência, com aparecimento mais tardío de sinais de cansaço derivados dos efeitos da produção de ácido láctico. A excepcional protecção conferida pelo resveratrol às estruturas celuras parece ser a razão desta melhoria na performance atlética. Na verdade o resveratrol vai activar um particular gene – Sirtuin 1 – que interfere no ritmo metabólico, que por sua vez age sobre a produção do ácido láctico(9). O resveratrol permite, ainda, que a utilização da energia se faça de forma mais eficiente. Assim, vamos ter a possibilidade de aumentar a performance atlética com uma substância natural que não integra qualquer conceito de dopping.

CANCRO E RESVERATROL

Esta é, talvez, a área mais dinâmica de pesquisa acerca do resveratrol porquanto esta é a substância natural com maiores evidências demonstradas no bloquear de processos cancerígenos em diferentes estádios e eficácia no tratamento. Na verdade o resveratrol actua sobre os processos cancerígenos em diferentes formas, quer bloqueando os estrogéneos e androgéneos, quer por modulação dos próprios genes (10).

Estudos dos últimos anos apontam no sentido do resveratrol causar uma específica morte das células cancerígenas, tenham ou não elas o gene tumoral supressor p53. Ele também aumenta a susceptibilidade das células dos linfomas não-Hodgkin resistentes às drogas, aos tratamentos com quimioterapia. Assim como, bloqueia a capacidade das células cancerígenas de se metastisarem(11).

O resveratrol actua contra um leque variado de cancros, tanto a nível preventivo como curativo, sendo certo que ele não danifica as células sãs.

Trata-se duma substância “inteligente” porquanto, não só elimina radicais livres, como activa e desactiva enzimas, hormonas, químicos e genes que são decisivos no controlo dos fenómenos tumorais

MÚLTIPLOS EFEITOS

Tem sido bastante alargada a área onde o resveratrol tem apresentado resultados promissores, como p.ex., além dos antes referidos, na protecção do ADN celular, no combate à inflamação e à dor, no travar do desenvolvimento de bactérias como a Helicobacter pylori que pode causar ulceras estomacais e conduzir a cancro ou no obstar ao desenvolvimento de cancro da pele (12).

NEM TODO O RESVERATROL NASCE IGUAL

O resveratrol podemos encontrá-lo em pequenas quantidades na graínha e pele das uvas, nos amendoins, mirtilos, e outras plantas. As suas apresentações comerciais surgem hoje no mercado sob múltiplas marcas, mas de forma geral, pela via de extracto seco a partir duma planta denominada Polygonnum cuspidatum, planta esta sobretudo obtida no oriente.

Mas para podermos obter, para a nossa saúde, resultados interessantes a partir da ingestão de resveratrol, necessitaríamos, p.ex. no caso do vinho de uva tinta, de beber uma 10 garrafas de vinho, cujas uvas não tivessem sido tratadas com fungicidas, para atingirmos um valor mínimo de 30 mg de resveratrol, dosagem a partir da qual podemos começar a ter alguns benefícios. Ora se pensarmos na quantidade de álcool que ingeriríamos, esta solução é manifestamente inadequada.

A forma habitual, disponibilizada comercialmente, como dissemos, é a do extracto de Polygonnum cuspidatum sobretudo proveniente da China. Ora a recolha desta planta não dá garantias de estar isenta de contaminantes (herbicidas, pesticidas) e poluentes, sendo que adicionalmente o referido extracto apenas proporciona entre 15 a 20% de riqueza em resveratrol. Daí a discrepância de preços que se verifica no mercado no que respeita a suplementos de resveratrol. Para que nos entendamos, p.ex. em 200mg de resveratrol anunciado como sendo Polygonnum cuspidatum apenas 30 a 40 mg são resveratrol, ou seja, uma quantidade manifestamente mínima.

O melhor é mesmo lançar mão do denominado trans-resveratrol que é 99% puro resveratrol, que tem sido usado nos ensaios científicos por mais de 10 anos e que garante total ausência de contaminantes e uma enorme biodisponibilidade, sem quaisquer efeitos adversos. Claro que este é um poduto de excepcional qualidade que tem um preço aparentemente mais elevado por se apresentar puro ao consumidor, isto é, quando a dosagem é de 100 mg ou 200 mg estamos perante 100 ou 200 mg de puro resveratrol e isso nem sempre é devidamente valorado pelo consumidor mal informado que apenas aposta no preço baixo em detrimento da qualidade, podendo isso, desde logo, comprometer a eficácia do tratamento e a boa imagem desta substância maravilhosa. Só o resveratrol puro nos garante a boa prática terapêutica, sem efeitos secundários negativos, e com toda a eficácia(13).

NOTAS

1. http://web.med.harvard.edu/sites/RELEASES/html/11_1Sinclair.html

2. http://en.wikipedia.org/wiki/Resveratrol . Rotondo, S., Rajtar, G., Manarini, S., et al.: Effect of trans-resveratrol, a natural polyphenolic compound, on human polymorphonuclear leukocyte function. Br J Pharmacol , 1998, 123 1691-1699.

3. Das, S., Das, D.K.: Resveratrol: a therapeutic promise for cardiovascular diseases. Recent Patents on Cardiovascular Drug Discovery, 2007, 2: 133-138.

4. Baur, J.A., Pearson, K.J., et al.: Resveratrol improves health and survival of mice on a high calorie diet. Nature, 2006. 444: 337-42.

5. Idem.

6. Idem.

7. Valenzano et al.: Resveratrol Prolongs Lifespan and Retards the Onset of Age-Related Markers in a Short-Lived Vertebrate, Current Biology, 2006,16, 3: 296-300.

8. Pearson KJ, Baur ,J.A., et al.: Resveratrol delays age-related deterioration and mimics transcriptional aspects of dietary restriction without extending life span. Cell Metabolism, 2008, 8:157-168.

9. Lagouge et al.: Resveratrol Improves Mitochondrial Function and Protects against Metabolic Disease by Activating SIRT1 and PGC-1α, Cell, 2006 , Dez., 1109-122.

10. Jang M, Cai L, Udeani GO, Slowing KV, Thomas CF, Beecher CW, Fong HH, Farnsworth NR, Kinghorn AD, Mehta RG, Moon RC, Pezzuto JM: Cancer chemopreventive activity of resveratrol, a natural product derived from grapes. Science ,1997, 275 (5297): 218–20.

11. Baur, J.A., Sinclair, D.A.:Therapeutic potential of resveratrol: the in vivo evidence, Nat Rev Drug Discov ,2006, 5 (6): 493–506; Boocock, D.J., Faust, G.E., Patel, K.R., et al. : Phase I dose escalation pharmacokinetic study in healthy volunteers of resveratrol, a potential cancer chemopreventive agent, Cancer Epidemiol. Biomarkers Prev.,2007, 16 (6): 1246–52.

12. Athar, M., Back, J.H., Tang, X., et al. : Resveratrol: a review of pre-clinical studies for human cancer prevention. Toxicol. Appl. Pharmacol. ,2007 Nov. 1, 224 (3): 274–83

13. Orallo, F.: Comparative studies of the antioxidant effects of cis- and trans-resveratrol. Current Medicinal Chemistry, 2006,13 87-98; Yáñez, M., Fraiz, N., Cano, E., et al.: Inhibitory effects of cis- and trans-resveratrol on noradrenaline and 5-hydroxytryptamine uptake and on monoamine oxidase activity. Biochem Biophys Res Commun, 2006, 344 688-695.

Discussão

Ainda sem comentários.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Siga no Twitter

  • Animo Tito!! Vais conseguir vencer mais esta batalha... 3 years ago


Arquivos

Categorias

Visitas

  • 5,487

Direitos Reservados

Creative Commons License
©2011

%d bloggers like this: